A crise de produtividade pode estar focada na constante inovação de produtos que por consequência podem ter uma vida útil menor.


Economia mundial vive uma crise de produtividade

Por Chris Giles | Financial Times, de Londres

A economia mundial está passando por uma crise de produtividade, uma vez que a maioria dos países não conseguiu melhorar sua eficiência total no ano passado, pela primeira vez em décadas.

Num sinal de que a inovação pode ter estagnado diante da fragilidade da demanda, o instituto privado de análise e pesquisa americano Conference Board disse que um resultado “dramático” dos dados de 2013 foi a queda da capacidade de transformar trabalho e capital em produtos e serviços.

O crescimento da produtividade é o elemento mais importante para elevar a prosperidade tanto de países ricos quanto dos pobres.

Se não houver crescimento da produtividade nos próximos anos, isso frustrará as esperanças de que os países ricos possam melhorar o padrão de vida de sua população e que as economias emergentes possam percorrer a distância que as separa do mundo avançado.

“Essa paralisação parece resultar da desaceleração da demanda dos últimos anos, que levou a uma queda do uso produtivo dos recursos possivelmente relacionada à combinação de pontos de rigidez do mercado e à estagnação da inovação”, disse o Conference Board.

O não crescimento da eficiência total – conhecida pelos economistas como produtividade total dos fatores – em 2013 resulta da desaceleração do crescimento das economias emergentes e da continuidade dos rápidos aumentos de capital e do trabalho empregados.

Leia mais: http://www.valor.com.br/internacional/3395798/economia-mundial-vive-uma-crise-de-produtividade

Deixe uma resposta