A demanda pelos títulos de dívida das maiores empresas brasileiras tem sido forte, já que os investidores internacionais estão com os bolsos recheados depois de seis meses de pouquíssimas emissões, segundo o banco francês BNP Paribas SA.

“[O interesse] está voltando”, disse Rodrigo Fittipaldi, diretor de mercado de capitais do BNP Paribas em São Paulo. “Os investidores começaram 2012 com muita liquidez e buscando boas alternativas.”

Só na primeira semana de 2012 o governo brasileiro, a gigante da mineração Vale SA e o Banco Bradesco S.A. captaram um total de US$ 2,6 bilhões com emissões de títulos de dívida no mercado internacional.

É uma mudança significativa em relação ao segundo semestre de 2011, quando se agravou a crise de dívida na Europa e muitos investidores preferiram ficar na defensiva, disse Fittipaldi. As empresas brasileiras captaram US$ 38,5 bilhões com emissões de títulos de dívida no exterior em 2011, segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais, a Anbima.

O BNP Paribas ajudou a organizar uma nova emissão de títulos globais de dívida soberana com vencimento em 2021, que captou US$ 825 milhões, mas cuja demanda chegou a US$ 3,5 bilhões. Os títulos foram vendidos com um juro anual de 3,449%, o menor já obtido por um título de dívida soberana do Brasil, e abaixo dos 4,188% obtidos na última vez em que o governo emitiu títulos de dívida com vencimento em 2012, em julho do ano passado.

Mais empresas brasileiras devem usar os mercados internacionais de capitais nos próximos dias, disse Fittipaldi, embora alerte também que os investidores continuam muito seletos com seus investimentos.

“Mas o mercado [internacional de títulos de dívida] continuará bom para as grandes empresas”, disse ele.

O Banco do Brasil SA, maior banco da América Latina em ativos, planeja emitir títulos de dívida no mercado internacional esta semana, oferecendo títulos perpétuos, segundo um executivo do BNP Paribas. A última vez que o Banco do Brasil ofereceu títulos de dívida com vencimento em cinco anos foi em novembro e o banco estatal conseguiu captar US$ 500 milhões, com juro de 4%.

O Banco do Brasil contratou o BNP Paribas, o Citigroup, o HSBC, o Standard Chartered Bank e a BB Securities para coordenar a operação. Ele ainda não decidiu quanto tentará captar. Um porta-voz do Banco do Brasil não quis comentar a nova emissão de títulos de dívida.

Deixe uma resposta