03/02/12 – 00:00 > FINANÇAS – DCI

São Paulo – A capacidade financeira do mercado brasileiro atrai empresas para investir por aqui. Ontem, a empresa canadense de petróleo e gás naturalPacific Rubiales iniciou a negociação de seus BDRs (Brazilian Depositary Receipts) na BM&FBovespa. “Somos a primeira empresa canadense a lançar papéis no Brasil e confiamos no potencial dos investidores institucionais brasileiros”, declarou o presidente da Pacific Rubiales, José Francisco Arata.

Depois de mais de um ano sem lançamento de BDRs Patrocinadas na BM&FBovespa, a Pacific Rubiales abriu a temporada de lançamentos do ano de 2012. Na próxima semana, será a vez da argentina do setor imobiliário TGLT, entre cujos sócios está a PDG Realt. “O Brasil está no foco. E deve se consolidar como um importante polo financeiro internacional nos próximos anos”, afirma o gerente de Produtos DR (Depositary Receipts) do Itaú Unibanco, Adelmo F. Lima Filho. O executivo revelou que está previsto que outra companhia estrangeira virá ao mercado até o final do semestre. “Fundações e assets são os principais interessados nesses papéis”, diz Filho.

Já a Bradesco Asset Management (Bram) encontrou a saída para expandir as BDRs, cujos papéis são permitidos apenas para investidores qualificados. “Além dos fundos de pensão, vamos oferecer tíquetes de R$ 5 mil ou R$ 10 mil para clientes Prime de Alta Renda, via fundo de investimentos com BDRs americanas”, disse ao DCI, o diretor superintendente da Bram, Joaquim Levy. Na visão de Levy, essa será uma alternativa de diversificação. “Aos fundos de pensão oferecemos como uma solução de investimento, em que o gestor cuida da carteira e da análise de risco”, disse. A comercialização do fundo de BDRs pela Bram está prevista para a semana antes do carnaval.

Deixe uma resposta