Um trabalho para sair totalmente da rotina (Gazeta do Povo – Curitiba)

Publicado em 29/05/2013 | CÍNTIA JUNGES

Grandes marcas estão apostando em estratégias de marketing que oferecem experiências profissionais inusitadas.

Quem, em sã consciência, não gostaria de receber um modesto salário de R$ 10 mil para desbravar o litoral brasileiro durante um mês? Sonho de muitos, essa foi a experiência do publicitário curitibano Marcel Bely, escolhido para o cargo de “Profissional do Verão Trident” entre mais de 20 mil inscritos. No início de 2012, Bely teve a difícil tarefa de visitar as praias mais bonitas do Brasil, de Porto Alegre até a ilha de Marajó, no Pará. Nadou com tartarugas em Fernando de Noronha; saltou de paraquedas em Búzios e andou de búfalo na ilha de Marajó. O trabalho de Bely era relatar essa jornada, gerando conteúdo nas redes sociais da empresa.

Parece até brincadeira, mas grandes marcas estão apostando em estratégias de marketing que oferecem experiências profissionais incomuns para quem está disposto a respirar novos ares profissionais, mesmo que temporariamente. A ação mais recente é da Halls, que criou uma agência de empregos temporários com vagas para funções como degustador de cerveja e testador de toboágua em um parque aquático.

Henry Milleo/ Gazeta do Povo

Henry Milleo/ Gazeta do Povo /

Chance

Ação da Halls inscreve até 9 de junho

Para disputar uma das vagas basta acessar a página da Halls no Facebook (www.facebook.com/HallsBrasil  ) e gravar uma entrevista on-line com uma webcam respondendo questões gerais e específicas sobre a função escolhida. O prazo termina no dia 9 de junho. A escolha dos candidatos será feita por uma empresa especializada em recrutamento em conjunto com as organizações participantes. Todas as oportunidades têm duração de uma semana com remuneração de R$ 1.700, com exceção da vaga para a Amazônia (15 dias) e das vagas da empresa de marketing esportivo Traffic e da estilista Fernanda Yamamoto, cujos contratos são de um mês.

Ofertas

Conheça algumas das vagas inusitadas oferecidas pela Halls:

• Testador de toboágua no Beach Park, Fortaleza (CE);

• Degustador de Cerveja na Cervejaria Colorado, Ribeirão Preto (SP);

• VJ no programa Top 10 da MTV, São Paulo (SP);

• Tratador e passeador de cães na Dog Walker, São Paulo (SP);

• Assistente social na Vaga Humanitária na Amazônia;

• Assistente de produção áudio visual na Black Magic Films, São Paulo (SP);

• Escritor de cartões comemorativos na Kardo, Curitiba (PR)

Mas qual o sentido de uma marca que vende balas oferecer empregos? Segundo o gerente de produto de Halls, José de Freitas, a ação faz parte do reposicionamento da marca no mercado. “Valorizamos as novas experiências e queremos oferecer aos candidatos uma chance de viver algo diferente e inusitado”, diz Freitas.

Uma das 15 oportunidades é como escritor de cartões comemorativos na Kardo, em Curitiba. “Achamos a ideia legal e decidimos participar da ação da Halls”, afirma o proprietário da startup Gustavo Gubert, que também espera dar visibilidade para o negócio. Na Kardo, além de exercitar a criatividade o candidato também vai mexer com mídias digitais. “No Brasil tem muito essa coisa de regionalismo. Seria bem legal um olhar de outra região na criação dos cartões”, diz Gubert.

Histórico

A primeira ação “The Best Jobs in the World” foi realizada em 2009 por uma agência de turismo australiana, que procurava por um zelador para uma ilha do país. Neste ano, ao invés de um, a campanha procura candidatos para os seis melhores empregos do mundo. Os vencedores vão cuidar de cangurus, golfinhos e leões-marinhos, provar as melhores comidas e bebidas típicas da Austrália – tudo isso recebendo cerca de R$ 200 mil por seis meses. Dois brasileiros estão entre os 150 finalistas.

Seleção do Trident teve maratona de atividades

Para conseguir a vaga de “Profissional do Verão Trident” Marcel Bely passou por um processo seletivo mais concorrido que muitos programas de recrutamento de grandes empresas. Além da concorrência – cerca de 20 mil candidatos –, ele foi obrigado a pensar e agir rapidamente e teve de exercitar a criatividade até o limite. Na primeira fase, Bely respondeu um quiz on-line cronometrado com perguntas sobre o turismo brasileiro.

Na peneira, ficou entre os 50 candidatos classificados para a segunda fase, que teve prova de redação e de conhecimentos específicos em Facebook e Twitter na areia de uma praia do Rio de Janeiro. “Lembro de perguntas como: Se você fosse nadar com golfinhos, como twitaria isso?”, conta o publicitário, que enfrentou ainda dinâmica de grupo e muita pressão até ficar entre os 10 finalistas.

Na terceira e última fase, foi a vez de testar a capacidade de improviso. “Primeiro fomos sabatinados com perguntas pessoais e para finalizar tínhamos que fazer uma peça escolhendo um dos três objetos que estavam ao nosso lado (uma canga, uma prancha e um kit de caipirinha). Fiz uma caipirinha de Trident”, conta Bely. A experiência gerou boas oportunidades para o publicitário, que hoje trabalha com redes sociais na Prefeitura de Curitiba.

Deixe uma resposta