No mundo dos dirigentes de bancos centrais

Como funcionam as coisas no mundo dos dirigentes de bancos centrais

Em julho, o presidente do Banco Central dos EUA, Ben Bernanke disse que percebeu no outono de 2008 que alguns bancos na Inglaterra estavam manipulando a Libor. Segundo Bernanke, ele chamou a atenção de Mervyn King, chefe do Banco da Inglaterra, para esse fato. Aparentemente, Mervyn King não fez nada, já que a manipulação continuou, mas Bernanke disse ao Congresso que não podia fazer mais do que isso. O artigo é de Dean Baker.

Vampirismo economico

16 de maio de 2012 | 3h 03

Rolf Kuntz – O Estado de S.Paulo – Vampirismo Economico

Quatro países sul-americanos cresceram bem mais que o Brasil, no ano passado, com taxas de inflação muito menores. Resultados melhores que os brasileiros foram alcançados também por economias emergentes da Europa. No Brasil, empresários desconhecem ou menosprezam esses dados e se mostram dispostos, mais uma vez, a embarcar na aventura de “um pouco mais de inflação” para conseguir um pouco mais de crescimento – como se prosperidade e estabilidade fossem objetivos incompatíveis.

Exauriu a expansão pelo consumo

Expansão pelo consumo

Por Claudia Safatle (Valor)

O grande motor da retomada do crescimento interno após a crise global de 2008 foi a expansão do crédito, puxada pelos bancos públicos, que sustentou o aumento do consumo e transformou recessão em crescimento num curto espaço de tempo. O crédito, que representava 38,4% do Produto Interno Buto (PIB) em agosto de 2008, antes da quebra do Lehmann Brothers, saltou para 49,1% do PIB em dezembro do ano passado.